Selo de origem

A vinha Discórdia que se plantou na Herdade Vale de Évora, Mértola, produz fruta deliciosa e bastante concentrada, resultando vinhos notáveis.

Francisco Mata, técnico superior de viticultura na Associação Técnica dos Viticultores do Alentejo (ATEVA), orientou os trabalhos de plantação da vinha, talhões de quatro castas tintas (Touriga Franca, Touriga Nacional, Alicante Bouchet e Syrah) e três de brancas (Arinto, Verdelho e Antão Vaz). Já o enólogo Diogo Lopes assumiu inicialmente a adega e toda a condição do terroir.
“Não queremos mascarar esta condição”, assume o enólogo, porque é o que “diferencia e que define o selo de origem Mértola”. Diogo Lopes reconhece que o perfil dos vinhos Discórdia “pode sair fora do padrão tradicional do Alentejo”, de vinhos “mais redondos e polidos”. Neste projeto da Herdade Vale de Évora, temos “vinhos de raça, muito autênticos e com carácter, que mantêm uma aresta típica da região”, explica, e ainda assim apresentam-se com “uma frescura notável” que aparece de forma natural. A proximidade ao rio Guadiana permite igualmente manter um nível de acidez médio muito bom, conseguindo-se um invejável equilíbrio de conjunto, conclui.